Ambiente
Biodiversidade e paisagem

A EDP Distribuição tem vindo a desenvolver e a implementar em parceria com outras entidades (universidades, centros de investigação, ONGAs, entidades governamentais, entre outras), um conjunto de boas práticas ambientais, que têm contribuído para a melhoria contínua do desempenho ambiental da empresa.

Temos atuado ativamente no desenvolvimento de projetos e na implementação de medidas com vista à proteção da biodiversidade. Neste âmbito, é particularmente relevante o tema da proteção da avifauna.

 

Proteção da avifauna

Em 1999 decorreu o primeiro Encontro Nacional sobre Linhas Elétricas e a Avifauna, numa organização conjunta entre a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA), a Associação Nacional de Conservação da Natureza (Quercus A.N.C.N) e o então Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade (ICNB). Deste encontro, resultou uma parceria com o objetivo de avaliar e propor soluções para minimizar a problemática da interação das aves com as linhas elétricas aéreas.

Para o efeito, foi criada uma comissão de acompanhamento designada CTALEA - Comissão Técnica de Acompanhamento das Linhas Elétricas Aéreas, a qual foi responsável em 2003 pela assinatura de um protocolo (Protocolo Avifauna). Este protocolo foi celebrado entre a EDP Distribuição, o ICNF (Instituto da Conservação da Natureza e Florestas), a Quercus e a SPEA, e teve como principal objetivo a realização de um estudo de prospeção que permitisse classificar e hierarquizar segundo um índice de perigosidade um conjunto de linhas consideradas como perigosas para a avifauna, numa amostra que cobrisse 20% das (AC) Áreas Classificadas. Para além do estudo de prospeção realizaram-se ainda estudos de monitorização para avaliação da eficácia das medidas corretivas aplicadas.

 

Esta parceria, materializada sob a forma de protocolos, viria a integrar em 2013 a LPN - Liga para a Proteção da Natureza, mantendo o percurso da empresa na procura e implementação de metodologias cada vez mais inovadoras, quer ao nível das soluções técnicas corretivas, quer da elaboração de estudos. Neste domínio, importa destacar a produção de cartas de risco por espécie alvo. Esta ferramenta substitui o anterior modelo de prospeção assente no percorrido das linhas elétricas, potenciando uma gestão mais sustentável do processo. Sendo seletiva na proteção de espécies com maior estatuto de conservação, também potencia uma maior eficácia no esforço de correção e no planeamento de novas linhas.

 

Cegonha branca

Durante o período de nidificação, a Cegonha branca procura os apoios da rede de distribuição de energia elétrica para nidificar. A proximidade da espécie com as partes em tensão, adjacentes aos apoios de rede, pode potenciar fenómenos de eletrocussão. Pelas suas caraterísticas, os apoios da rede elétrica promovem uma falsa segurança aos milhares de casais que todos os anos procuram construir aí os seus ninhos.

Perante a necessidade de conciliar os níveis de qualidade de serviço técnico com a preservação da Cegonha branca, a EDP Distribuição realiza anualmente um conjunto de intervenções voluntárias na rede aérea de distribuição de energia elétrica, com vista a remover ou transferir ninhos que estejam identificados como potencialmente perigosos para a espécie.

Genericamente, as intervenções em ninhos consistem na remoção do ninho construído no apoio de rede e consequente montagem de dispositivos dissuasores de nidificação (turbina, guarda-chuva, seta assimétrica, seta simétrica) no respetivo apoio. Complementarmente, e sempre que tecnicamente possível, é feita a transferência do ninho removido para um apoio dedicado com plataforma de nidificação associada, colocado nas imediações dos apoios da rede elétrica. Todas as intervenções realizadas neste âmbito, de remoção ou transferência, são sujeitas a parecer e acordo prévios do ICNF, mediante pedidos de parecer e emissão das necessárias licenças.

Protocolo Avifauna
Feb 2018
Birdlife Protocol