Histórias
Uma Escola que distribui experiências

Mariana queria ser engenheira e cumpriu o sonho na EDP Distribuição. Na empresa, participou num projeto que junta experiência e juventude e que promete não esquecer.

 

No outro dia estava a ler um diário meu que dizia:

«Quando for grande quero ser atriz ou engenheira»

Mariana Queiroz

Apesar de gostar de teatro, Mariana Queiroz nunca seguiu a área da representação. Mas o outro sonho manteve-se presente. O gosto pela matemática e pela física fizeram com que se formasse em Engenharia e Gestão Industrial. O desejo então escrito nas páginas daquele diário tinha-se cumprido.

Hoje trabalha na EDP Distribuição, no Departamento de Organização e Desenvolvimento, fazendo parte da equipa de gestão de informação. Mariana explica que o cargo que tem na empresa é “bastante transversal”, trabalhando com muitas equipas e muitas direções: “O que faço é responder às necessidades que cada equipa tem na área de gestão de informação”.

Entrou para a empresa em 2015, através de um Estágio de Aproximação à Vida Ativa mas foi em 2018 que fez parte de uma das experiências de que mais gostou. Foi nesse ano que Mariana participou na Escola da Distribuição, um ramo da Universidade EDP destinado aos quadros superiores mais jovens da EDP Distribuição.

Criada em 2010, a Escola da Distribuição tem como objetivo preservar, desenvolver e difundir o conhecimento chave do negócio da EDP Distribuição. O plano de formação é composto por quatro cursos: Desafios da Distribuição, Gestão da Rede, Gestão de Ativos e Serviço ao Cliente. Cada um tem uma duração de dois ou três dias, separados por dois ou três meses.

O conhecimento como grande vantagem


Quando desafiada a falar sobre as vantagens de participar na Escola da Distribuição, Mariana não tem dúvidas em apontar o conhecimento como a grande mais-valia.
 

“Estamos numa era de uma feroz revolução tecnológica e recebemos muita informação. E um grande desafio é ter conhecimento dessa informação. Acho que a Escola da Distribuição responde muito bem a esta era do conhecimento, desta sociedade do conhecimento e está a dar-lhe importância, a valorizá-lo e a espalhá-lo pela empresa. Isso é muito importante”, destaca.

 

Os módulos são lecionados por pessoas das próprias direções da EDP Distribuição, o que para Mariana é algo “muito giro de ver”. O grande envolvimento que existe por parte das pessoas da direção está sempre presente e ajuda a criar novas relações e experiências de interação. “Outra das mais-valias é o networking, porque há uma grande partilha, não só com as pessoas que entraram no mesmo ano que eu, mas também com pessoas que estão aqui há mais tempo”, conta Mariana Queiroz.

Mariana

 

"A Escola da Distribuição responde muito bem a esta era do conhecimento"

E descobrir novos talentos? Também é possível: “Desvendamos muitos talentos ocultos. Por exemplo, podemos estar a fazer um trabalho em que é preciso fazer um poster e há um colega que desenha muito bem. Vão-se revelando os talentos que cada um tem e que não mostramos no dia a dia. Ficamos a conhecer as pessoas de outra perspetiva”.

 

Conhecer a empresa como um todo



“Tenho aqui uma história, uma parábola. Há um príncipe que manda seis cegos do reino e mete um elefante à frente deles e pergunta o que é que eles têm à frente. E cada um dos cegos vai para uma ponta do elefante. Um está agarrado à cauda, outro à barriga, outra à tromba. Quando começam a tentar dizer o que é que têm à frente começam a discordar e como não se ouvem uns aos outros não chegam à conclusão que o que têm à sua frente é um elefante".

 

Mariana usa esta pequena história para explicar aquele que é um dos grandes objetivos da Escola da Distribuição.

 

"Antes eu tinha uma visão mais focada daquilo que era o meu trabalho, muito mais individual. A Escola ajuda-nos a ter uma visão mais global daquilo que é a EDP e começamos a vê-la como um todo. A Escola da Distribuição é muito querida pela EDP e sinto que as chefias e os diretores dão muita prioridade."

A jovem de 27 anos diz que o contacto com pessoas de várias áreas ajuda a criar uma imagem mais nítida daquilo que é realmente a empresa. Agora, quando trabalha em conjunto com outro departamento, Mariana tem em atenção outros aspetos que não tinha antes de participar nas formações:“Por exemplo, quando faço um pedido para a Direção de Despacho e Condução, como tive formação na área deles sei quais são os objetivos e o que é que eles têm de ter em conta. As formações ajudam-me a mim e aos meus colegas com isto precisamente, fico a saber quem trabalha no quê, onde e como!”

Além disso, ficou a conhecer pessoas que a podem ajudar quando tiver dúvidas mais específicas sobre algum assunto que não domina tão bem: “Se eu tiver uma dúvida, sei que tenho uma pessoa mais ou menos da minha idade com quem posso falar. Se não tivesse esse contacto podia sentir-me mais constrangida ou não saber bem com quem é que devia falar”.

Dar e receber

Dos quatro cursos em que esteve, Mariana diz que aquele de que mais gostou foi o de Gestão da Rede. Apesar de reconhecer que é “muito duro”, considera que foi “muito interessante”. Houve visitas ao call center e ao centro de despacho, em Palhavã. E, acima de tudo, houve a oportunidade de ficar a conhecer melhor um dos grandes ativos da EDP Distribuição: a rede.

Um dos principais motes da Universidade EDP é inspirado numa frase de Confúcio, filósofo da China Antiga: “Se não sabes, aprende; se já sabes, ensina”.

Mariana Queiroz não esconde o desejo de um dia poder ser ela a transmitir aos participantes os seus conhecimentos e aquilo que já aprendeu na EDP Distribuição. E esse momento até pode não estar assim tão distante!

Nessa altura, vai para Sacavém com um novo propósito. Nessa altura, encontrará as pessoas que entraram na família da EDP Distribuição há pouco tempo e que procuram saber mais. Mais pessoas, mais “Marianas”, que em criança também tinham os seus sonhos anotados em páginas de inocentes diários.