Histórias
Chegar, ver e aprender com quem sabe

Em 2018, Eduardo Sousa Fernandes candidatou-se a uma vaga para Técnico Eletricista na EDP Distribuição. Hoje, gosta tanto do que faz que não se imagina noutra profissão nos próximos anos.

Eduardo

 

É motivante ver que o nosso trabalho dá frutos.

Eduardo Fernandes

Tudo começou com um estágio. Na sequência de um Curso Especializado Tecnológico na área da Eletricidade, depois de ter concluído o ensino secundário, Eduardo Sousa Fernandes, agora com 22 anos, foi fazer um estágio na EDP Distribuição, em Santarém. Nessa altura, não sabia que viria a trabalhar na empresa dali a muito pouco tempo.

“Estava a fazer um estágio escolar durante o qual pude acompanhar e aprender um pouco o trabalho realizado na EDP Distribuição. Entretanto, concorri a uma vaga para Técnico Eletricista que abriu na empresa.”

Eduardo foi sendo bem-sucedido nas várias etapas do processo de candidatura e, logo após ter terminado o estágio, concluiu as fases que faltavam e iniciou um novo capítulo na sua vida: ser técnico eletricista. Na realidade, este objetivo vinha de trás, conta. “O meu pai já trabalhava na EDP Distribuição, acompanhei sempre todo o seu percurso e gostava de conversar com ele sobre o que fazia no trabalho. Segui-lhe as pisadas.”

Nas aulas: da teoria à prática

Todos os Técnicos Eletricistas que entram na EDP Distribuição passam por uma formação intensiva. Quando integramos a empresa fazemos um curso para podermos estar ambientados com o trabalho que vamos realizar no dia a dia. Eu entrei no início de setembro e comecei o curso antes do final desse mês.”

O Curso de Exploração de Redes tem a duração de dois meses e, ao longo deste período, de segunda a sexta-feira, Eduardo Sousa Fernandes, em conjunto com 11 colegas oriundos dos mais variados pontos do país, iniciava as aulas às 9 horas e terminava às 17h. A diversidade entre alunos é um dos fatores apontados por Eduardo como sendo muito positivo.

 

"Éramos de áreas distintas, de diferentes locais, tínhamos as nossas perspetivas, e isso fez com que aprendêssemos com todos, pois víamos a maneira como cada um fazia as coisas e arranjava soluções."

A formação é dada por técnicos de várias áreas da EDP Distribuição e “são pessoas que também estão no terreno, têm muita experiência e transmitem-nos os seus conhecimentos”, salienta Eduardo. Inicialmente, o curso tem uma componente teórica, à qual se segue a vertente prática. 

Íamos para o terreno treinar com os professores, em parques próprios e armazéns que tinham toda a segurança necessária, os trabalhos que iríamos realizar, no futuro. No meu caso, nas redes de média e de alta tensão. O que aprendemos no curso é aquilo que vai ser o nosso trabalho do dia a dia”. 

Esta componente prática, que envolve o modo como são executados os trabalhos, é alvo de avaliações regulares por parte dos formadores. Depois de terminado o curso, os alunos têm um exame teórico que engloba todas as temáticas abordadas ao longo dos dois meses de aulas.

Aprendizagem e partilha

Embora a área de Exploração de Redes esteja em constante evolução e surjam sempre novos desafios, Eduardo Sousa Fernandes já se sentia ambientado com a sua função quando iniciou a sua atividade após o curso, até porque continuou em Santarém e estava familiarizado com o trabalho e as pessoas.

Atualmente, o técnico trabalha em Tomar, num núcleo de oito pessoas que, por sua vez, se divide em equipas de dois elementos e por áreas de jurisdição – neste caso, Tomar e Ferreira do Zêzere.

 

"O nosso trabalho é garantir o abastecimento e a distribuição da energia. Em caso de avaria, temos de repor imediatamente a energia. Quando todos os clientes têm luz, o nosso trabalho passa muito pela verificação e manutenção."

Quando perguntamos a Eduardo o que se imagina a fazer daqui a dez anos, a resposta é pronta. “Imagino-me a fazer o que faço agora. Posso ser novo ainda, mas dá-me gosto fazer isto, é algo que puxa por nós e é motivante ver que o nosso trabalho dá frutos e os nossos clientes estão satisfeitos.” 

Do Curso de Exploração de Redes ficaram amizades, o sentido de cooperação, e a aprendizagem construída e partilhada entre todos, como sublinha:

“O curso é bom, muito bom, e gostava que tivesse sido mais longo.

Embora não tenha tido oportunidade de trabalhar com os professores e colegas, “após o curso é feito o acolhimento em Lisboa, a integração na EDP Distribuição. Voltamos a reunir-nos, trocamos impressões e é muito giro estarmos todos juntos outra vez”, remata Eduardo.